ARTIGOS » Pegue e leia! Entendeu?

Você já acessou o conteúdo do Google acionado por comando de voz com narração do texto e explicação das imagens? E a Wikipedia que reconhece o que você está procurando e apresenta vídeos sobre o conteúdo? Áudio tweeter? Voice book?

Bom, você provavelmente não acessou nenhuma dessas novas formas de interação, uma vez que muitas delas ainda não foram inventadas. O motivo para que estas coisas ainda não existam é muito simples: somos uma sociedade na qual a base da comunicação ainda é escrita.

Jornais, revistas, livros, sites, blogs, fóruns, artigos, e-mails, tweets, torpedos e sei lá mais o quê, são atualmente as formas de interação mais utilizadas no mundo. Sem escrita, estaremos de volta ao conceito tribal com o conhecimento sendo passado pelos anciãos à beira de uma fogueira com algum animal sendo churrasqueado.

Trago esta tema à discussão, pois percebo que graças aos céus, existe um movimento de retomada do hábito de leitura entre jovens e até mesmo entre os que são jovens há mais tempo. Se toda a base de nossa informação que é a percussora do conhecimento está escrita, como continuaremos a evoluir como sociedade se as pessoas cada vez menos querem ler?

Na semana passada, estive em uma reunião no colégio onde estudam os meus filhos. Como havia muitos pais para falar com cada professor, em alguns casos havia uma pequena espera de vinte a trinta minutos. Numa destas esperas, ouvi por nada menos que oito vezes um professor de história repetindo o mesmo diagnóstico e solicitando o mesmo tipo de apoio dos pais:

“Seu filho está com dificuldades para interpretar textos“.

“Por favor, ofereça mais opções de leitura para ele como jornais, revistas semanais e logicamente livros”.

Em minha empresa, sempre estamos discutindo sobre a melhor forma de apresentar nossos produtos e invariavelmente, a expressão “o texto está muito grande, as pessoas não vão ler” vem à mesa fazendo com que repensemos nossa abordagem.

Se você leu este artigo até aqui, obrigado. Sinto-me um felizardo por prender sua atenção. O problema é crítico e estamos caminhando para um abismo intelectual ao acreditarmos que qualquer coisa pode ser encontrada na Internet e que mesmo quando não estamos conectados, nossa leitura tenha que ser em formato de hypertexto.

Como empresário, deixo um recado para os profissionais mais novos. Se tudo que você precisa saber para dar uma resposta está no Google, talvez um dia, eu seus clientes passem a  usar somente o Google.

Pense nisto!

Por Edson Carli